terça-feira, 25 de maio de 2010

Sobre o que falo.

Palavras ao léu, que ninguém leu.
São essas palavras, que o poema escondeu.
Essas vitórias do pensamento meu
Que de vidas alheias escreveu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário é muito bem - vindo, fique a vontade!