terça-feira, 29 de maio de 2012

Jantar.








De felicidades instantâneas, como fotografias digitais, o mundo está cheio.
E estar ao lado de quem se ama
parece um erro absurdo
em um tempo em que nada dura mais que cento e quarenta caracteres.


O mural estampado com fotos
a rede social com mil e duzentos amigos
e o outro lado da mesa de jantar
vazio.

Só existimos à partir do outro
prisma de idéias
e guardanapos floridos.

Garfo e faca pra facilitar.
Até hashi são dois e se
tudo tem dois lados
porque você não?

Aquecer a lareira
ou fazer uma fogueira
dentro do seu estômago
dos rins
fígado
baço
pés
que o incêndio se alastre e chegue
ao coração;

Depois um lar
e como manter a humildade e a unidade
sem que a umidade do ego
desfaça os sorrisos do rosto.

Cozinhar pra você
comida japonesa
chinesa
fast-food
pra engordar mesmo
espetinho na churrasqueira
sem feijão na marmita que você não gosta
e ser feliz
como aquele poema que você tanto diz
para os milagres acontecerem.




Um comentário:

O seu comentário é muito bem - vindo, fique a vontade!