terça-feira, 22 de junho de 2010

Lembranças de um verão.

"Mas é estranho isto, e receio o que a vida vai
Fazendo de mim sem a minha autorização"
Gonçalo M. Tavares.

Eu devia ter uns oito ou nove anos quando vim pra Maringá pela primeira vez. Eu morava em São Paulo por essa época e me lembro que o que mais me chamou a atenção foi o sol daqui, ele parecia mais claro, mais vivo. As manhãs aqui eram diferentes, as árvores, o ar, mas principalmente o sol. Quando se é criança, alguns detalhes só vão fazer diferença quando você cresce, certas coisas passam despercebidas.

Nós viemos a passeio, mas meu pai já estava com a intenção de se mudar para cá visto que um ano depois já estavamos residindo aqui. Nessa primeira visita, conheci meu primo, Thiago. Ele devia ser uns cinco anos mais velho do que eu e, assim como o pai dele, queria ser caminhoneiro. Ficamos boa parte das minhas férias brincando no Rádio PX que o pai dele tinha na fiorino. Ficavamos falando com os caminhoneiros na estrada, com os daqui e com outras pessoas que gostavam de conversar por ali também. Quando me mudei pra cá, lembro que sempre nos nos viamos e tinhamos contato. Quando ele atingiu a maioridade, sem nem pensar duas vezes, virou caminhoneiro. Cair na estrada sempre foi o sonho dele.

Perdi o contato com ele por algum tempo, eu cresci também, claro. Fiz minhas amizades e ele passava muito tempo na estrada então era dificil manter contato. Certa páscoa, em um ano qualquer, conversamos por meia hora e só. Mas você deve estar se perguntando o porque estou contando isso no meu blog, não? Bem, esse ano, faz cinco anos que o Thiago faleceu. Aconteceu logo após a nossa conversa naquela páscoa, e ele tinha a minha idade, vinte e dois anos. Morreu na estrada, dirigindo o caminhão que sempre foi sua paixão e a frase dele: "um dia vou ser caminhoneiro" não me sai da cabeça faz dias. Essa aqui é a minha homenagem a ele, que junto com o sol, é a minha lembrança mais forte do verão que passei as férias aqui. Lembrança feliz, apesar da vida ter feito dele, sem a sua autorização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário é muito bem - vindo, fique a vontade!